Diocese do Funchal - Ano Pastoral 2016 / 2017 - "Viver em Igreja a alegria de ser Cristão"

domingo, 31 de outubro de 2010

PAZ À SUA ALMA!

Faleceu Manuel Ferreira Freitas Junior da Fajã da Murta na Paróquia do Faial. O seu funeral é Quarta feira, 3 de Nov. com Missa de Corpo Presente às 15h na Igreja paroquial do Faial. Rezemos pelo seu Eterno Descanso. PN, AM, GP.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Recolha de produtos - Conferência de São Vicente de Paulo de Santana

A partir da próxima segunda-feira, 1 de Novembro de 2010, a Conferência de São Vicente de Paulo da Paróquia de Santana inicia a recolha de produtos, nos diversos estabelecimentos comerciais da Freguesia de Santana, para ajudar as pessoas mais carenciadas. Mais informamos que esta recolha termina no dia 8 de Dezembro do corrente ano. Agradecemos desde já toda a colaboração da população.

A Presidente Conferência São Vicente de Paulo da Paróquia de Santana,
Maria Jerónima da Silva Carvalho.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Jovens Cristãos da Madeira - JC+M - Em 2011 na Paróquia da Ilha no 37º Aniversário

A festa do 37.º aniversário do JC+M, Jovens Cristãos da Madeira, em 2011, será na paróquia da Ilha; e a Vígilia de oração relativa ao evento decorrerá na Encarnação.
Assim ditou o sorteio realizado no passado domingo, durante o encontro dos 36 anos do Movimento que teve lugar no Coração de Jesus (Boa Nova).
Fundado em Outubro de 1974 por D. Francisco Antunes Santana, então Bispo do Funchal (1974-1982), o JC+M continua a ser uma referência na nossa diocese, apesar do surgimento ao longo dos anos de outros grupos ligados a vários carismas apostólicos.
Naquela data, recorde-se, “cerca de um milhar de jovens provenientes de todas as partes da diocese reuniram-se para reflectir, estudar, discutir e aprovar aquilo a que viriam a ser os cinco critérios fundamentais: a conquista dos nobres ideais da pessoa humana; fidelidade a Cristo, numa opção livre e consciente; aceitação de todos os jovens, qualquer que seja a sua condição; leal colaboração com a Igreja; e compromisso como cristãos no mundo”.

CPM - CURSOS DE PREPARAÇÃO PARA O MATRIMÓNIO - Diocese do Funchal – Ano 2010/ 2011



8 NOV. 20H - VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELOS SEMINÁRIOS - Igreja de São Pedro - Funchal

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Paz à sua Alma

Faleceu João Gomes Luís do sítio do Barreiro, Santana. A Missa de corpo presente é nesta Terça feira ás 15h na Igreja Paroquial de Santana seguida de funeral.
Rezemos pelo eterno descanso da sua alma. PN; AM; GP

domingo, 24 de outubro de 2010

Horário e Informações de 24 a 31 de Outubro de 2010




Ao recomeçar as aulas de Educação Moral, fiquei surpreendido com o apreço que os meus alunos mostraram pela sinceridade – é um dos seus valores de eleição. Tive ocasião de, conjuntamente, recordar a etimologia deste termo:
Quando os romanos preparavam mármores imperfeitos, ponham cera nas frestas para disfarçar. Cera, em latim, diz-se como em português, de tal modo que se um bloco de mármore era perfeito, diziam que era sine cera, ou seja sem cera, pois não necessitada de nenhum disfarce ou artifício. Uma pessoa sincera é alguém que se mostra como é, sem nenhuma afectação.

É isto que me vem ao pensamento ao ler a parábola do fariseu e do publicano. E que ambos rezaram com toda a sinceridade.
O fariseu desfilou com todas as suas qualidades: sete! Perfeito até no número, sete é o número da perfeição. Ao fazer isto, estava a afirmar-se santo. E Jesus não disse que este mentia, logo devia mesmo fazer tudo aquilo.
O que o publicano falava também não era mentira, era de facto um pecador público.
Se ambos eram sinceros, qual então a diferença?
É que o fariseu não foi rezar, mas apenas elogiar-se, tentando receber aplausos de Deus. Isso não é oração. Na oração, o centro tem de ser Deus. Orar é olhar-se na direcção de Deus, é procurar enxergar-se segundo a óptica divina.
A sinceridade de um vangloriava-se, a do outro divinizava-se.
                                                                                                   in: quintalvieira

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Paz à sua Alma

Faleceu Eduardo Correia da Fajã Grande, Paróquia do Faial e emigrado na Venezuela. O seu funeral é neste Sábado com Missa de Corpo Presente às 15h na Igreja Paroquial do Faial. Rezemos pelo Eterno descanso da sua Alma. PN; AM; GP.

Praticar o domingo

Praticar o domingo

Intenção de Bento XVI para o mês de Outubro
Que o Domingo seja vivido como um dia em que os cristãos se reúnem para celebrar o Senhor ressuscitado, participando na Eucaristia

 1.      Praticar o domingo

Não desconsiderando o possível valor subjectivo das razões que levam muitos baptizados a abandonar a participação habitual na Eucaristia de domingo, importa manter o essencial: o domingo é, por excelência, o dia do cristão, porque é o dia da ressurreição do seu Senhor, Jesus Cristo; pela mesma razão, o domingo é também o dia da Igreja; e é, por excelência, o dia da Eucaristia, na qual se faz memória e se actualiza o mistério pascal de Cristo – é a Páscoa semanal dos cristãos. Objectivamente, nenhum cristão abandona esta dimensão do domingo (celebrar o seu Senhor ressuscitado, unido à comunidade cristã, pela participação activa e comprometida na Eucaristia) sem renunciar à sua identidade e à sua fé. Por isso, praticar o domingo foi sempre, desde os primórdios do Cristianismo, a marca distintiva dos fiéis – ao ponto de muitos terem dado a vida pelo direito a fazê-lo, celebrando a Eucaristia, pois, diziam, «sem o domingo – e a Eucaristia – não podemos viver».

 2.      Praticar o domingo em tempo de mudança

Hoje, a vida social e profissional organiza-se segundo ritmos próprios, não raro, pouco propícios à tradicional vivência do domingo. Este pode ser dia de trabalho, de actividades desportivas, de viagens ou encontros sociais, de descanso para quem passou a noite em discotecas ou bares... Quanto aos cristãos, cabe-lhes continuar a testemunhar, em comunidade, a dimensão originária do domingo: dia para celebrar o Senhor Jesus ressuscitado, fazendo do domingo um dia de festa, respirável e diferente, um dia santo. Este será um testemunho cada vez mais necessário, embora mais difícil, à medida que a laicização das nossas sociedades se for aprofundando e as suas raízes cristãs forem sendo esquecidas, quando não combatidas. Haverá, certamente, adaptações a fazer, como aconteceu com o alargamento do tempo celebrativo do domingo, iniciado ao cair da tarde de sábado. Não se pode é abandonar o essencial: celebrar o domingo, em Igreja, celebrando a Eucaristia.
3.      Praticar o domingo com menos padres e menos celebrações

A diminuição de cristãos que praticam o domingo – a diminuição de cristãos, simplesmente – vem-se acentuando nas últimas décadas. O mesmo acontece com o número de padres. Em geral, porém, não se verifica uma equivalente redução no número de celebrações de Eucaristias dominicais – o resultado é que muitos padres, com várias paróquias a seu cargo, formadas por comunidades cada vez mais pequenas, correm de umas para outras, presidindo a celebrações apressadas, sem a necessária preparação e com ainda menos disposição. Quando mesmo esta «solução» já é de todo impraticável, começa a recorrer-se às «celebrações da Palavra», orientadas por religiosas ou leigos, nos domingos em que não é possível a celebração local da Eucaristia.

Seria bom pensar outras possibilidades. Por exemplo, convocar várias comunidades locais para, em conjunto, celebrarem a Eucaristia. Dada a abundância de meios de transporte particulares, não se afigura nada de extraordinário. De caminho, podia incentivar-se a vivência da fraternidade cristã, pela partilha do automóvel com quem não tem, combatendo-se uma das pragas maiores da sociedade actual, o individualismo egoísta, ao qual os cristãos não ficam imunes. Este acto de se deslocar e fazer comunidade com outras comunidades, celebrando o Senhor Jesus ressuscitado, fortaleceria os laços entre pessoas e comunidades e seria profundamente educativo. Obrigaria também a mudar hábitos, dos padres e dos leigos? Sem dúvida. Mas seria preço pequeno a pagar para termos Eucaristias dominicais melhor preparadas e mais intensamente vividas. E isso não é assunto de pequena importância, antes deve mobilizar todas as nossas energias, pois, «sem o domingo, não podemos viver» como cristãos.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Oração do Rosário: Rezar o Terço em família é factor de unidade da própria família

"Os pedidos do Papa neste mês de Outubro têm sido insistentes: “Rezai o Rosário”, que deve ser “a oração de cada dia”. Bento XVI deseja que “o mês de Outubro seja uma ocasião para valorizar esta oração, tão querida na tradição do povo cristão”. Para o dominicano frei José Filipe, “perceber que a oração em família, e em concreto o Terço, é factor de unidade da própria família é um desafio e uma descoberta a fazer”."
Leia mais carregando aqui

Paz à sua Alma

PAZ À SUA ALMA - Faleceu Antónia Joaquina Rosa Chaves da Corujeira de Cima - Faial. A Missa de Corpo Presente seguida de funeral é nesta Terça feira, 19 de Outubro de 2010 às 16h na Igreja do Faial.

Tomada de posse na Paróquia de Santana em 17 de Outubro de 2010










domingo, 17 de outubro de 2010

Algumas fotos da tomada de posse na Paróquia da Ilha em 16 de Outubro de 2010





Paróquia da Ilha, tomada de posse do novo Pároco em 16 de Outubro de 2010 - Texto enviado por Carolina Vieira



A nossa comunidade Paroquial da Ilha está reunida para celebrar, para viver e testemunhar o amor a Jesus Cristo na dinâmica da Igreja, numa lógica de Missão, seguindo o mandato do Senhor que diz: ”Fazei-vos ao largo”, estamos em festa, sentimo-nos parte activa deste projecto e de um modo particular neste dia 16 de Outubro para acolher o nosso novo Pároco Pe. Afonso.
Não podemos deixar passar em claro este momento para saudar o nosso novo Vigário Geral, Sr. Cónego Fiel que aqui veio, dar posse o Sr. Pe. Afonso, nosso Pároco. Expressamos desta forma simples o nosso apreço e carinho por este novo cargo, Apostólico que o nosso Bispo D. António Carrilho lhe confiou e que com fidelidade irá desempenhar este serviço como garantia de unidade e disponibilidade ao serviço de todo o Povo de Deus, também contámos consigo e sinta que pode contar connosco na oração.
Transmita a V.ª Ex.ª Reverendíssimo D. António Carrilho as nossas saudações de Amizade e de oração desta pequena parcela do Povo de Deus da nossa Diocese do Funchal.
Neste dia começamos uma nova etapa pela qual daremos graças, mas não podemos deixar passar em branco as recordações de tudo o que foi feito e construído nesta paróquia nestes anos, em que estivemos na companhia do senhor padre rui, não podemos deixar de agradecer todo o trabalho, todo o empenho e esforço do passado que tanto nos inspira e nos faz olhar em frente para seguirmos o nosso caminho realizando e construindo coisas e sentimentos fortes para a nossa fé. Por isto e por tudo o nosso muito obrigado ao senhor padre rui.
Nesta nova etapa, damos as boas vindas ao novo Pároco desta Paróquia, Pe. Afonso, nosso novo líder para continuar a transformar corações para uma vida mais simples, mais humana, mais honesta, mais autêntica e verdadeira, numa caminhada em direcção a Deus.
Estas flores humildes e belas, revelam todos os sentimentos e emoções de felicidade que enche a nossa alma, recebei-as com todo o amor e carinho pois elas levam o que de melhor sente o nosso coração. Por este dia especial, uma grande salva de palmas.

sábado, 16 de outubro de 2010

Palavras proferidas por uma Paroquiana do Faial aquando a tomada de posse do novo Pároco em 16 de Outubro de 2010

Ex.mo e Rev.mo Sr Vigário Geral, Cónego Fiel, é com muita alegria que o acolhemos nesta Comunidade Paroquial do Faial. Desejamos-lhe as maiores felicidades nesta nova missão e pedimos-lhe que transmita ao nosso Sr. Bispo, D. António Carrilho, a nossa estima e amizade e que conte com a nossa oração na sua missão Apostólica na Diocese do Funchal.
Sr. Pe. Rui, é com muita emoção que hoje lhe dizemos um “até breve”. O nosso muito obrigado por tudo o que realizou na nossa Paróquia. Nunca o esqueceremos. Que Nossa Senhora da Natividade o acompanhe sempre.
Aproveito esta oportunidade para lembrar alguns irmãos que Deus já os chamou para junto de Si mas que muito contribuiram para a nossa Paróquia: o Sr. Hilário, o Sr Manuel Teixeira da Diferença, o Sr Avelino Nóbrega, o Sr Manuel Freitas Gouveia, a Sra Salomé ... e tantos outros que no anonimato tanto fizeram. Que Deus lhes dê a recompensa por todo o bem que nos fizeram.
Para o Sr. Padre José Afonso, que desde hoje é o nosso Pároco, esperamos contar consigo... da nossa parte, faremos o nosso melhor. Queremos trabalhar em conjunto para a construção de uma melhor Diocese e em especial a nossa Paróquia para que no futuro os nossos filhos tenham orgulho do nosso trabalho e empenho.
Os movimentos eclesiais presentes na nossa Paróquia são os seguintes:
Catequese, Confrarias de Nossa Senhora da Natividade e do Santíssimo Sacramento, Ministros Extraordinários da Comunhão, Acólitos, Grupo Coral, Conferência de São Vicente de Paulo.
Há na nossa Paróquia Grupos Culturais: Associação D e Cultural do Faial, Banda Filarmónica, Tuna da Casa do Povo, Associação de Karting e Automobilismo do Faial.
A Paróquia tem contado com o apoio das Entidades Públicas: Câmara Municipal de Santana, Junta de Freguesia, Casa do Povo.
Quando solicitados os seus serviços, também nos teem ajudado a Farmácia do Faial e os Restaurantes da nossa Freguesia, nomeadamente a Casa de Chá do Faial, a Ponte Velha e o Kredo.
“A melhor maneira de resolvermos os grandes males alheios, é cada um fazer todo o bem que puder, dentro da sua pequenina esfera de Acção” (Padre Américo)
Sr. Padre Afonso, seja benvindo! Contamos consigo, pode contar connosco!

Rezar cantando

Alguma música

O tempo em Santana