quinta-feira, 21 de junho de 2012

Santana - Paz à sua alma

Faleceu Agostinho Sousa e Freitas do sítio do Serrado freguesia de Santana. Funeral nesta quinta feira dia 21 de Junho com missa de corpo presente às 14h na igreja paroquial de Santana. Tem confraria de Santa Ana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN, AM, GP.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Santana - Paz à sua alma!

Faleceu Augusta Ferreira do sítio do Pico Tanoeiro, freguesia de Santana. O seu funeral é nesta quarta feira 20 de Junho com missa de corpo presente às 15 h na igreja paroquial de Santana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN, AM, GP.

sábado, 16 de junho de 2012

Santana - Paz à sua alma!

Faleceu Manuel Rodrigues da Achada da Cruz freguesia de Santana. Funeral na próxima segunda feira 18 de Junho com missa de corpo presente às 14h na igreja paroquial de Santana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN, AM, GP.

terça-feira, 12 de junho de 2012

O Padre, homem de fé – do Mistério ao ministério - VII Simpósio Nacional do Clero - Fátima, 4 a 7 de Setembro de 2012 -

O Padre, homem de fé – do Mistério ao ministério                                               
A melhor forma de agradecer um dom é aceitá-lo, acolhê-lo, valorizá-lo, dar ao outro a alegria de o poder dar ou de o ter dado. Recebê-lo, agradecido, é cuidar dele. E cuidar dele é zelar para que não se degrade, é vigiar para que não se extinga. É, fundamentalmente, reavivá-lo.
Do dinamismo originário da fé cristã faz, precisamente, parte integrante e constitutiva a lógica do dom que é a mesma lógica da confiança e do oferecimento. Deus revela-Se, faz-Se dom, a humanidade acolhe e oferece-se confiadamente nas mãos de Deus. E a fé surge, simultaneamente como dom de Deus e resposta livre do homem, manifestação de que a revelação de Deus chegou ao seu destinatário.
De facto, quem não confia também não se deixa interpelar nem chamar; quem não sai de si mesmo também não sabe nunca acolher; quem não é capaz de se dar gratuitamente também não sente nunca a alegria dos dons que recebe; quem não sabe agradecer também não é capaz de viver sem estar permanentemente a exigir recompensas, a estudar estratégias, a evidenciar e expor direitos, a reivindicar atenções para satisfação pessoal, enfim, a mercantilizar os sentimentos.
Entrar na lógica do dom é diferente, é surpreender-se e deixar-se surpreender na gratuidade. É antecipar-se na caridade. É aí, de resto, que acontece a nossa maior semelhança com Deus (o amor e o amar) e é aí que somos mais humanos. Quem não é capaz de entrar na lógica do dom não é capaz de entrar na relação da fé.
A Igreja, por iniciativa do Santo Padre, o Papa Bento XVI, prepara-se para celebrar um “Ano da Fé”. Com início em Outubro próximo, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II e quando se completam vinte anos sobre a publicação do Catecismo da Igreja Católica, o Ano da Fé terá o seu termo na Solenidade de Cristo Rei em Novembro de 2013 e é um convite e uma ocasião para descobrir novamente os conteúdos da fé professada, celebrada, vivida e rezada e, ao mesmo tempo, reflectir sobre o própri acto com que se crê (Bento XVI, PF 16).
Numa Igreja, sacramento e sinal de Cristo (a Luz dos Povos, LG 1), pertencendo ao Senhor e por fé, os Presbíteros são os servidores do baptismo dos seus irmãos cristãos, que o mesmo é dizer, são servidores da fé do Povo de Deus e são servidores da renovação dessa mesma fé. Estando marcados por uma unção que os identifica ao Bom Pastor, Jesus Cristo, os cristãos esperam encontrar nos presbíteros não apenas um homem que os acolhe, que os escuta voluntariamente, que lhes testemunha simpatia, amizade ou solidariedade, mas também e sobretudo um homem que os ajuda a olhar para Deus, a elevar-se para Ele e a projectar a vida com base n’Ele. Sacramentalmente. O serviço de Deus é, aliás, o fundamento sobre o qual se constrói o autêntico serviço dos homens.
O VII Simpósio nacional do Clero, a realizar entre 4 e 7 de Setembro próximos em Fátima e subordinado ao tema “O Padre, Homem de fé – do Mistério ao ministério” pretende, na sequência do desafio e convite que o Santo Padre faz a toda a Igreja, promover uma reflexão da profunda relação entre a fé e o ministério dos presbíteros.
Integrado no “Ano da Fé”, é desejo do Simpósio proporcionar uma reflexão e um percurso que partem das raízes e fontes da fé para e conduzem à consciencialização, reflexão e vivência das consequências existenciais da própria fé. Na sua dimensão sacramental e ministerial, o Sacerdócio ministerial é, necessariamente, consequência do processo de fé no qual Deus Se revela, forma aquele a quem Se revela e o chama ao seu serviço.
O horizonte de fundo do Simpósio coloca-se, pois, na articulação entre o Mistério (da fé) e Ministério (do Padre), a sua realção, os momentos processo, as implicações na vida dos que aceitam ser chamados, a credibilidade da fé para conduzir à consagração, a relação da existência presbiteral nos desafios quotidianos com a fonte da fé.
Na sua Carta a Timóteo (2 Tim 1, 6), Paulo convida-o a “reavivar” o dom de Deus. O verbo “reavivar” é o mesmo que se utiliza quando se trata de significar o avivar ou o reacender de um fogo. E é nesse sentido que é extremamente interessante que seja dito que o homem tem responsabilidade em reavivar em si mesmo o dom de Deus. Significa que para acolher um dom tem de se entrar na lógica do que é gratuito, na lógica da capacidade de admiração, na lógica do extasiamento, na lógica do que dá com alegria de dar e sem estar a prever a recompensa.
O VII Simpósio do Clero pretende, desta forma, colaborar com todos e cada um dos Presbíteros no trabalho e processo de, permanentemente, “reavivar” o dom de Deus à Igreja e ao mundo que é o seu ministério presbiteral refontalizado na fé.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Faial - Paz à sua alma!

Faleceu Ernaldo Ferreira Silva do Guindaste freguesia do Faial. Funeral nesta quinta feira 7 de Junho com missa de corpo presente às 14h na Igreja paroquial do Faial. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN, AM, GP.

Paz à sua alma!

Faleceu Fernanda Filipa de Freitas da Achada do Gramacho freguesia de Santana. Funeral nesta quinta feira 7 de Junho com missa de corpo presente às 11.30h na igreja paroquial de Santana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN, AM, GP.

domingo, 3 de junho de 2012

Celebração Eucarística - Festa das Famílias - 3 de Junho 2012

D. Manuel Clemente no Jubileu dos 500 anos da Diocese do Funchal

A Diocese do Funchal foi criada pelo Papa Leão X, no dia 12 de Junho de1514. Foi, pois, com imenso júbilo que iniciámos as celebrações jubilares dos 500 anos da Diocese, no dia 12 de Junho de 2011, apontando para um programa pastoral de três anos.
Foi convidado e presidiu à solene Eucaristia, na Sé, o Senhor Núncio Apostólico, em Portugal, D. Rino Passigato. Para assinalar aquela data, neste ano de 2012, virá à Madeira, a convite do nosso Bispo, D. António Carrilho, o Senhor Bispo do Porto e Vice-Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Manuel Clemente.
Ele estará entre nós, nos dias 10, 11 e 12 de Junho, em que fará três conferências sobre temas alusivos à nossa história de Igreja evangelizada e evangelizadora. Em cada sessão haverá, também, um momento musical, dando-lhe um carácter festivo.
O programa será assim:
No dia 10 de Junho, domingo, às 18h00, no auditório John dos Passos, na Ponta do Sol;
No dia 11, segunda, no salão paroquial, em Santa Cruz;
No dia 12, terça-feira, às 21h00,  na igreja do Colégio, Funchal.
O ponto alto deste 498º aniversário da assinatura da Bula da Criação da Diocese, será a Concelebração Eucarística, na Sé do Funchal, no dia 12 de Junho, terça-feira, às 18h00. A convite do nosso Bispo, também presidirá D. Manuel Clemente, que, na sua qualidade de Vice-Presidente da CEP, nos associa, simbolicamente, numa especial comunhão com todas as Dioceses de Portugal.
Considerando o significado eclesial e cultural da presente efeméride convidam-se a participar, nos diferentes atos do programa, em especial na Eucaristia do dia 12, todos os sacerdotes, membros dos institutos de vida consagrada e leigos, que possam disponibilizar-se para o efeito.
Funchal, 03 de Junho de 2012
A Secretaria Episcopal


Historiador e homem de cultura
Bispo do Porto desde 2007, D. Manuel Clemente foi Auxiliar do Patriarcado de Lisboa desde Janeiro de 2000, ano da sua ordenação episcopal. Formado em História pela Faculdade de Letras de Lisboa, optou pela vida sacedotal aos 25 anos de idade, quando ingressou no Seminário Maior dos Olivais, em 1973. Em 1979 licenciou-se em Teologia pela Universidade Católica Portuguesa, doutorando-se em Teologia Histórica em 1992, com uma tese intitulada: Nas origens do apostolado contemporâneo em Portugal. A “Sociedade Católica” (1843-1853).Desde 1975, lecciona História da Igreja na Universidade Católica Portuguesa (UCP).
Desempenhou vários cargos e funções e eclesiais. Foi Director do Centro de Estudos de História Religiosa da UCP (2001-2007).
Presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais (2005 a 2011). É actualmente Vice-Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa; e Membro do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais.
Distinguido com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo, atribuída pela Presidência da República Portuguesa em 2010, o Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, recebeu também o Prémio Pessoa em 2009, entre muitas outras distinções.
É autor de vários títulos, como: «Igreja e sociedade portuguesa - do Liberalismo à República».
Primeira Diocese global de toda a Igreja Católica
O Funchal é considerada a primeira Diocese global porque quando foi criada, em 1514, teve jurisdição sobre as Igrejas dos quatro continentes, na época dos Descobrimentos portugueses. No contexto dos 500 anos da sua criação, está a realizar-se um conjunto de iniciativas, com destaque também para um Congresso histórico-científico, internacional, a decorrer entre os dias 18, 19 e 20 de Setembro de 2014.
«Não podemos ficar a olhar só para trás, temos de olhar para a frente, mas não podemos prescindir do conhecimento daquilo que é a riqueza recebida e que é razão de ser dos nossos va
lores e tradições», sublinhou o Bispo do Funchal, D. António Carrilho, na apresentação do evento.

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA | Domingo, 3 de Junho de 2012 | Por JM

7 junho - FESTA DO CORPO DE DEUS - Largo do Colégio - Sé



«Cristo caminha connosco e reparte o Pão” é o tema da Festa litúrgica do Corpo de Deus na nossa Diocese, esta semana, dia 7 de Junho, com uma grande concelebração eucarística frente à igreja do Colégio, às 18h00, presidida por D. António Carrilho, seguida de Procissão pelas ruas do Funchal até à Sé.

CONVITE Convidam-se todos os movimentos e associações da Diocese, Confrarias do Santissimo Sacramento, saloias, crianças com fatos brancos, estudantes, reiigiosas, religiosos, acólitos, seminaristas, sacerdotes e todo o Povo de Deus, a participarem na GRANDE SOLENIDADE D0 CORPO DE DEUS.

ITINERÁRIO DA PROCISSÃO
Igreja do Colégio - Rua Marquês do Funchal - Rua 5 Outubro - Praça da Autonomia - Avenida do Mar (faixa Norte) - Avenida de Zarco (ascendente) - Avenida Arriaga (faixa Sul) - Sé

ORDEM DA PROCISSÃO
Corpo Nacional de Escutas
Escoteiros de Portugal (AEP)
Guias
Brigada Marítima
Outros Movimentos laicais
Alunos de Escolas e Colégios Católicos
Ministros Extraordinários da Eucaristia
Representação das Forças Militares e Militarizadas
CRUZ PROCESSIONAL
Crianças vestidas de branco
Insígnias do Espírito Santo e saloias
Irmãos do Santissimo Sacramento
Acólitos
Pálio com Santíssimo Sacramento
Autoridades
Restante Povo de Deus
Fonte: Secretariado Diocesano de Pastoral

Ministros da comunhão renovam mandato
O secretariado diocesano da Liturgia, organismo responsável pelos “Cursos de Formação para novos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão”, está a convocar para a Solenidade do Corpo de Deus os “Ministros Extraordinários da Comunhão de todas as comunidades paroquiais”, para darem início a “um novo mandato para o triénio 2012-2014”.
Neste sentido, deverão participar na celebração da próxima quinta-feira, às 18h00, no Largo do Colégio, e “ocupar o lugar que lhes for indicado no recinto”.
“No momento da acção de graças, diante de Jesus Eucaristia, recitarão em uníssono a Oração (compromisso) do Ministro Extraordinário da Comunhão, que lhes será distribuída previamente. Depois, todos juntos, integrarão, no lugar próprio, a procissão eucarística até à Catedral”, lê-se num comunicado do Secretariado diocesano da Liturgia, dirigido pelo cónego João Francisco Dias.
“Para exercerem este Ministério, nas assembleias dominicais ou nas visitas aos doentes, em suas casas, exige-se uma formação permanente e específica”, que “tem sido facultada aos Ministros Extraordinários da Comunhão nos diversos arciprestados”, informa aquele organismo.

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA | Domingo, 3 de Junho de 2012 | Por JM

A Partilha nº 76 - 03 a 10 de Junho 2012


Rezar cantando

Alguma música

O tempo em Santana